Qual a importância da Medicina do Esporte?

Hospital VITA
Postado por Hospital VITA - 07 de abril de 2017

A Medicina do Esporte é uma especialidade que atua no cuidado da saúde de atletas profissionais, amadores e de pessoas que praticam qualquer tipo de atividade física.  Ela é responsável pelo acompanhamento completo – desde a avaliação inicial, antes de começar a atividade – e trabalha na prevenção de lesões, na melhora e manutenção da performance e no tratamento de lesões. Isto é, ela está relacionada à prevenção, tratamento e reabilitação do praticante.

Pode ser dividida em Traumato-Ortopedia Desportiva, cujo tratamento se dá em lesões ósseas e musculares; Cardiologia do Esporte, que avalia o metabolismo cardiovascular e a Medicina do Exercício, que estuda o funcionamento e a resposta do corpo às atividades realizadas em mulheres, crianças e idosos. A Medicina do Esporte atua também no Controle Anti-Doping, responsável por realizar teste em atletas escolhidos aleatoriamente, para detectar a presença ou não de alguma substância proibida.

Avaliação pré-participação: antes de iniciar qualquer tipo de atividade física é preciso avaliar o desempenho do corpo. O médico analisa o histórico de vida e o estado atual do paciente, por meio de anamnese – relato dos acontecimentos relacionados à saúde, exames laboratoriais e clínicos, que medem a capacidade de esforço do coração, circulação, metabolismo e a respiração. Após constatar a condição inicial e se há patologias pré-existentes, o especialista avalia se a pessoa está apta para praticar atividades físicas, quais são as mais indicadas e as preferidas pelo paciente. Essa investigação evita o risco do indivíduo se submeter a cargas de exercício que não esteja preparado e facilita a prescrição de tipo, frequência, intensidade e sobrecarga do exercício.

Acompanhamento médico: é realizado de acordo com a necessidade de cada paciente, varia conforme os objetivos e o nível de atividade, mas se a pessoa não tiver problemas de saúde pré-existentes, recomenda-se a realização de avaliação anual.

Contraindicação: São poucos os casos de doenças que impossibilitam a realização de atividades físicas, na maioria das vezes o exercício ajuda, por isso, a necessidade de realizar a pré-avaliação, a partir dela é que o médico define o que pode ser feito, com que intensidade e frequência. É semelhante ao uso de um medicamento, existe uma dosagem adequada que não pode ser ultrapassada. Também não há limite de idade, existe adequação para a prática esportiva.

 

Cuidados essenciais para quem quer fazer atividades físicas:

– Fazer avaliação médica antes de iniciar a prática.

– Seguir as orientações médicas.

– Praticar exercício com orientação e acompanhamento de um profissional de Educação Física.

– Respeitar e não ultrapassar seus limites.

 

Dr. Luis Antonio Bauer, médico ortopedista e traumatologista do Esporte

TAGS:

COMENTÁRIOS:

Clique para comentar!

Outono é sempre igual

Hospital VITA
Postado por Hospital VITA - 31 de março de 2017

 

 

Assim como diz a canção, o “outono é sempre igual, as folhas caem no quintal”, e com a chegada da estação surgem também as alterações de temperatura responsáveis por impactar o organismo. O sistema respiratório é um dos que mais sofrem com essas oscilações. Nesta época há um aumento considerável de problemas inflamatórios e alérgicos, como: resfriado, gripe, laringite, asma, bronquite, pneumonia e bronquiolite.

É nesta estação do ano que ocorre um acúmulo maior de poluentes devido à diminuição das chuvas e da temperatura do ar, há pouca umidade atmosférica e, consequentemente, maior nível de poluição. Esta combinação, acrescido ao fato de as pessoas permanecerem em ambientes fechados por mais tempo, prejudicam ainda mais a vida de quem convive com doenças respiratórias. Para evitar crises e melhorar a qualidade de vida é necessário, além do diagnóstico correto e precoce e evitar aglomerações, é preciso um tratamento individualizado com especialistas como pneumologista, fisioterapeuta e nutricionista.

As crianças e os idosos são os que mais sofrem com a chegada do outono. Na infância o sistema imunológico ainda está em desenvolvimento e na melhor idade o sistema imunológico já está debilitado. Por isso, atenção, ao apresentar sinais de febre, tosse persistente e presença de catarro amarelado por um período superior a três dias, a orientação é procurar atendimento médico imediatamente. Vale lembrar que a automedicação é uma prática não recomendada.

A gripe também é responsável por causar muito incômodo neste período. A infecção viral é causada pelo Influenza, um vírus respiratório com três tipos: A, B e C. O tipo C causa quadros clínicos leves, já o A e B são responsáveis pelas epidemias sazonais. A melhor medida de prevenção é a vacinação disponível contra as quatro cepas que costumam evoluir com maior gravidade: influenza A (H1N1), influenza A (H3N2) e dois subtipos de Influenza B. No serviço público se encontra a trivalente que comporta a proteção contra H1N1, H3N2 e um subtipo de influenza B. No serviço privado está disponível a trivalente e a quadrivalente que, além de proteger contra H1N1, evita também os dois subtipos de Influenza B. Em geral os anticorpos protetores após a vacina estão presentes entre duas a três semanas, conferindo imunidade por seis a 12 meses, desta forma exigindo vacinação anual.

Outro cuidado que deve ser tomado nesta época do ano é quanto ao risco de pneumonia, infecção que ocorre nos pulmões, causa febre alta, tosse, desconforto no tórax e muitos outros sintomas. Alguns tipos podem ser evitados facilmente com vacinas, como a Prevenar 13, recomendada para todas as faixas etárias. A imunização é indica principalmente para as pessoas com mais de 65 anos, por se tratar de uma doença que pode levar o idoso a óbito.

Dicas para evitar problemas de saúde no outono:

– Mantenha o organismo hidratado: apesar das temperaturas mais amenas, o ar fica seco e, por isso, o consumo de água é essencial.

– Evite permanecer em locais fechados: a proliferação de certos vírus é mais intensa nesta época do ano e ambientes fechados favorecem este processo. Deixe as janelas abertas para que o ar circule.

– Mantenha as mãos higienizadas: a prática deve ser um hábito em todas as estações do ano, já que temos contato direto com diversos objetos que podem estar contaminados, por isso é imprescindível lavar as mãos com água e sabonete, de preferência use o líquido, e sempre que possível fazer uso do álcool em gel para finalizar.

– Tenha uma alimentação balanceada: manter uma alimentação adequada e equilibrada com vitaminas e nutrientes necessários evita que o corpo fique vulnerável a contaminações.

– Cuide da pele: além de manter o organismo hidratado é importante cuidar da pele. Ela fica mais seca com a chegada do outono, o que pode resultar em rachaduras e irritações que desenvolvem alergias. Use um hidratante específico para o rosto e outro para o corpo. Além disso, evite banhos muito quentes, pois eles favorecem o ressecamento da pele.

 

 

Dra. Marta Fragoso, médica infectologista e responsável pelo Centro de Vacinação VITA

TAGS:

COMENTÁRIOS:

Clique para comentar!

Bebeu água?

Hospital VITA
Postado por Hospital VITA - 22 de março de 2017

Em 22 de março é celebrado o Dia Mundial da Água, um dos mais preciosos recursos naturais. Ela é importante na manutenção do volume urinário, previne infecções, formação de cálculos e regula a temperatura corporal. É essencial também para o trato gastrointestinal e para a renovação celular da pele e mucosas, pois evita o ressecamento e a descamação. Já com relação ao sistema respiratório, fluidifica as secreções e facilita a expectoração.

A água, que representa de 40 a 80% do peso corporal, é também uma aliada para quem busca perder peso, pois oferece sensação de saciedade. Além disso, ajuda na redução da ingestão calórica – quando consumida na quantidade de aproximadamente dois copos 30 minutos antes da refeição. Vale lembrar que quanto mais rica em fibras for a dieta, maior deve ser a quantidade de água ingerida.

No verão, é preciso tomar uma quantidade maior, já que no calor é preciso repor a água perdida na transpiração. Já nos dias mais secos ou nos longos períodos de estiagem, a recomendação também é de aumentar o consumo, pois a água ameniza os problemas respiratórios oriundos da baixa umidade.

Um adulto necessita ingerir de 1,5 a 2 litros de água por dia, porém em dias secos e quentes ou com a prática de exercícios, pode-se consumir até cinco litros diários – ou 200 ml a cada 20 minutos de atividade física moderada. A falta do líquido no corpo causa desidratação e está associada a uma redução do volume sanguíneo. A ausência dela no organismo pode levar a alterações no funcionamento do coração, dos rins e do cérebro. Os sintomas são fraqueza, tontura, cansaço, e em casos extremos pode levar à morte.

Os diversos tipos de água

A água de torneira não deve ser ingerida sem que seja fervida ou filtrada. Ao passar por um filtro de cerâmica ou carvão ativado ela sofre um processo de purificação, mas não esqueça, deve ser realizada a manutenção periódica do filtro para garantir a qualidade do líquido.

Já a água mineral é purificada e apresenta nutrientes que variam de acordo com o tipo de fonte da qual é retirada. As ricas em cálcio, flúor, magnésio e potássio são as mais comuns, mas esta informação deve estar descrita no rótulo. E lembre-se, de nada adianta ficar atento à composição se a ingestão não for suficiente.

 

Confira alguns tipos específicos de água mineral e os benefícios que podem trazer à saúde:

  • Alcalina-bicarbonatada: auxilia no tratamento de inflamações do aparelho digestivo, úlceras e esofagite.
  • Carbogasosa: auxilia na dissolução das pedras de ácido úrico.
  • Ferruginosa: indicada para pessoas com anemia.
  • Fluoretada ou Fluorada: auxilia na calcificação óssea, na prevenção de cáries e na prevenção de problemas bucais.
  • Litinada: ajuda na depuração do ácido úrico.
  • Radioativa: função diurética. Inalada, é eficiente para o tratamento de asma.
  • Iodada: recomentada para arteriosclerose, reumatismo, insuficiência tireoidiana, bócio e moléstias do fígado e rins.
  • Sulfurosa: a mais comum nas termas brasileiras, indicada para problemas articulares, laringites, bronquites, sinusites. Atua também como cicatrizante, desintoxicante e estimulante do metabolismo.

 

Dr. João Luiz Carneiro, nefrologista

TAGS:

COMENTÁRIOS:

Clique para comentar!

Movimente-se, isso faz bem para a saúde

Hospital VITA
Postado por Hospital VITA - 17 de março de 2017

Estudos científicos revelam que o sedentarismo é uma ameaça isolada para problemas do coração, derrames e infarto. A ociosidade pode ser comparada a fatores de risco como tabagismo e diabetes. A prática regular de exercícios físicos combate e previne doenças coronarianas, pressão alta, acidente vascular encefálico (derrame), problemas vasculares, obesidade, diabetes mellitus tipo II, osteoporose, artrose e alguns tipos de câncer, como de cólon, mama, próstata e pulmão. Ajuda também a combater depressão e ansiedade, contribui para a perda e manutenção do peso e para a composição corporal adequada (diminui a massa gorda e aumenta a massa muscular), reduz o colesterol ruim e triglicerídeos, eleva o nível de colesterol bom, atua na manutenção da composição óssea adequada. Além disso, contribui para um sono adequado, funcionamento do intestino, aumenta a força muscular e os anos de vida, uma vez que contribui para o funcionamento pleno do coração, melhora o humor e o desempenho sexual.

Quem pode fazer exercícios? Não existe idade específica para realizar atividades físicas. Crianças, adultos e idosos devem fazer desde que sejam respeitadas suas características individuais, preferências, objetivos, doenças pré- existentes e condicionamento inicial. Não existe uma regra específica, mas devemos entender que na infância deve ser respeitada a natureza da criança e as atividades devem dar valor ao brincar e às relações sociais, desenvolvendo capacidades físicas básicas (força, coordenação e agilidade).

Como definir as atividades que a pessoa pode praticar? Os exercícios devem ser planejados de acordo com os objetivos do indivíduo (melhorar o condicionamento, aumentar a massa muscular, diminuir o peso…), atender suas preferências pessoas, ou seja, deve fazer o que gosta e o que lhe proporciona bem-estar. É necessário também atender o condicionamento inicial e o estado de saúde atual e o que é permitido fazer. Além disso, deve-se levar em conta e adequar o exercício à disponibilidade de tempo.

Quais atividades devem ser realizadas e com que frequência podem ser praticadas? O indicado é realizar exercícios aeróbicos (andar, correr, pedalar e nadar) três vezes ou todos os dias da semana, associados a atividades de resistência muscular localizada (ginástica localizada, musculação, pilates) de duas a três vezes por semana. Indica-se também uma vida diária ativa, usar a escada e não o elevador, passear com animal de estimação, fazer jardinagem, dançar e realizar pequenas caminhadas para resolver algo próximo ao trabalho ou de casa.

 

Não esqueça, antes de iniciar uma atividade física deve-se realizar uma avaliação médica e manter acompanhamento de profissional da área.

 

Dra. Alana Claudia Murillo Santos, médica do esporte

TAGS:

COMENTÁRIOS:

Clique para comentar!